Uma casa não se constrói sozinha. São as alianças que abrem as janelas de novos horizontes.

                                                                                                                                             CAFE de Liquiçá

 

O Projeto Centros de Aprendizagem e Formação Escolar (PCAFE), em Timor-Leste, materializa os laços de amizade e de estreita cooperação entre o Estado português e o Estado timorense, nos domínios do ensino e da formação.

Este projeto sucedeu ao Projeto Escolas de Referência e encontra-se implementado, atualmente, em estabelecimentos de ensino de todos os treze municípios daquele país, nos quais os alunos e os professores timorenses têm acesso aos currículos nacionais de Timor em língua portuguesa, responsabilizando-se o Estado Português pela afetação de docentes para a educação pré-escolar, 1.º, 2.º e 3.º ciclos do ensino básico e, ainda, para a formação de professores timorenses.

A utilização da Língua Portuguesa como instrumento de escolaridade e de formação, no âmbito da cooperação, esteve subjacente ao protocolo, assinado entre a República Portuguesa e a República Democrática de Timor-Leste, a 16 de abril de 2010. Este protocolo veio promover a criação de polos da Escola Portuguesa Ruy Cinatti, nos municípios de Baucau, Same, Maliana e Oecusse, que entraram em funcionamento no ano escolar de 2010/2011 e o de Gleno, em 2011/2012.

O Projeto CAFE responde a três necessidades concretas:

1.º     À formação complementar a jovens recém-graduados, realizada em contexto de prática pedagógica, preenchendo uma lacuna específica: a falta de uma etapa de formação, que assegure a transição entre a formação inicial e a formação contínua dos professores, em Língua Portuguesa, a ter lugar em todos os municípios.

2.º     Ao ensino público de qualidade ministrado, de acordo com o currículo timorense, a 7 500 alunos, distribuídos por doze municípios e pela Região Administrativa Especial de Oecusse-Ambeno, desde o pré-escolar ao 9.º ano.

3.º     Às ações de formação e capacitação dos professores e dos quadros da administração e gestão escolar timorenses. Estas são desenvolvidas junto das escolas básicas, centrais e filiais da rede pública de ensino, bem como noutros locais, de acordo com as propostas recebidas na coordenação do Projeto.

Este Projeto de cooperação bilateral é uma iniciativa de grande significado para a promoção e divulgação da Língua Portuguesa, em Timor-Leste. Pode, aliás, considerar-se, pela sua amplitude e abrangência, mas também pelo seu elevado simbolismo, como uma âncora e um paradigma da Cooperação portuguesa, envolvendo significativos recursos humanos e investimento financeiro do Estado português, apresentando resultados que se traduzem numa maior autonomia e confiança dos professores timorenses, associados a este Projeto.